sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Juntando o Útil ao Útil e Eliminando Pseudo-problemas

Como sabem estou numa fase bem corrida, trabalhando muito, várias horas por dia, o que está me deixando sem tempo para minhas atividades pessoais.

De tudo o que faço no âmbito pessoal, existem duas que são as mais importantes: atividade física e estudar inglês. São também coisas que jamais poderei deixar de fazer, são atividades pra vida toda. Atividade física todos sabemos é questão de saúde, confesso que sou preguiçoso mas depois que começo até que vai. Inglês deveria ser fundamental na vida de todos, se você não é ao menos intermediário nesse idioma saiba que está perdendo muito, quem não sabe inglês fica retido no mundinho da internet em Português, isso só pra citar um exemplo da importância desse idioma.

Agora como fazer ao menos essas duas atividades perante uma rotina de 16 horas de trabalho ao menos 6 dias na semana? Não é exatamente fácil, mas eu achei um meio. Juntei o útil ao útil!

A solução é relativamente simples e não tem nada de revolucionário. Ao menos 4 vezes por semana eu tenho que percorrer cerca de 8km de casa ao trabalho, até então eu fazia esse percurso de metrô, moto ou mesmo carro. Agora vou de bicicleta! Durante muito tempo procrastinei essa ideia baseado em pseudo-problemas que eu mesmo criei e estava somente dentro da minha cabeça:

Problema 1: Perigo. Realmente andar de bicicleta em São Paulo não é das tarefas mais seguras porém isso melhorou absurdamente nos últimos anos, pelo menos na capital, na região onde trafego de bike, a grande maioria dos motoristas respeita o ciclista. Junte isso ao fato que por ter bastante experiência nesse meio de transporte (usei bicicleta como meio de transporte diário durante ao menos 1 década) e percebi que esse perigo não é tão importante assim. Sobre o perigo de assalto, isso não me preocupo, minha bike tem mais de 20 anos de idade e não tem frescura alguma.

Problema 2: Relevo. São Paulo é um pirambeira só, ladeira pra todos os lados. No caminho pra uma das lojas preciso enfrentar várias ladeiras, mas como tudo que sobe uma hora desce, isso também é outra coisa irrelevante. Nunca fui um ciclista, digamos, intenso. Ou seja, desde moleque nunca me fiz de rogado pra subir um morro empurrando a bike, não me mato no pedal. Empurro na subida e na volta é só alegria, as ladeiras se transformam em descidas.

Problema 3: Suor. Sempre li matérias sobre ir ao trabalho de bike e em todas elas sempre tocam no assunto suor, que você chega fedendo, tem que tomar banho no trabalho, etc. A verdade é que por sorte ou sei lá o porquê (talvez por ter quase nenhum pelo), não sou de suar muito e meu suor não fede rapidamente. Como sei disso? Nada melhor que perguntar para as pessoas como os funcionários e principalmente pra esposa (se não estou fedendo na volta pra casa, não estarei na ida). Além disso deixo o uniforme na empresa, troco de roupa, passo um desodorante e deu.

Superado os pseudo-problemas de ir trabalhar de bike, agora consigo unir o útil de ir trabalhar ao útil de me exercitar. São ao menos 5 horas por semana de ciclismo o que é bastante pra quem ficaria parado de outra maneira. Além disso meu dia-a-dia no trabalho é agitado, não fico parado nem sentado muito tempo. Estou experimentando trabalhar de pé mesmo no computador quando estou fazendo tarefas burocráticas, cansa mas melhora a produtividade e reza a lenda, faz bem pra coluna.

E o inglês? No caminho para o trabalho vou ouvindo podcasts ou áudios de vídeos que me permitem ao menos treinar o listening. Além disso sempre dou uma de louco e simulo diálogos comigo mesmo pra treinar o speaking. Então se você ver um louco de bike falando inglês sozinho, prazer, você acaba de conhecer o Corey.

Com essa simples atitude, de deixar a preguiça de lado e montar em cima da bike eu consegui vencer pseudo-problemas, me exercitar e praticar o inglês com o bônus de economizar gasolina e muitas vezes, tempo. Falando em bike, economia, saúde e inglês, leia o excelente artigo do Mr Money Mustache: http://www.mrmoneymustache.com/2012/05/07/what-do-you-mean-you-dont-have-a-bike/

A vida é simples, a gente que complica demais!




terça-feira, 24 de novembro de 2015

Minimalismo - Não se Importe com os Detalhes

Hoje vou falar sobre algo muito importante pra quem, como eu, quer levar uma vida simples e minimalista, aliás é uma coisa tão importante que é chave pra uma vida tranquila, mas infelizmente é um assunto pouco comentado: esqueça o perfeccionismo e detalhes.

Outro dia fuçando no random do site do Mr Money Mustache me deparei com o seguinte texto:

Cure Yourself of Tiny Details Exaggeration Syndrome

Nele, MMM fala sobre o que ele chama de "Síndrome do Exagero de Pequenos Detalhes" (numa tradução livre e porca), o que nada mais é que a característica humana de se apegar com detalhes irrelevantes das coisas. Ele usa o exemplo do Havaí, toda ilha tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom tem a casa dos famosos, os restaurantes sofisticados, as melhores vistas, e lado ruim tem "somente" o mar azul, o sol, o clima agradável e a brisa do mar no fim da tarde. Ou seja, no frigir dos ovos os dois lados das ilhas do Havaí são exatamente a mesma coisa, é a mesma ilha, o mesmo sol, o mesmo mar... mas as pessoas valorizam mais uma parte que outra baseada em detalhes que na prática são irrelevantes. O mesmo vale pra alguns bairros que possuem casas muito mais caras por estarem numa rua histórica, ou 1km mais perto do shopping center, etc. MMM usa outro exemplo: seu bairro que fica 2,4 milhas de distância do centro da cidade e muitos consideram suburbs (os subúrbios americanos são normalmente áreas residenciais localizadas longe dos centros comerciais), por ser considerado subúrbio sua cidade é barata mesmo estando tão perto do centro...

O mesmo pensamento pode ser extrapolado em tudo na vida. Quer o melhor exemplo de todos? Smartphone. O cara tem um celular bom, com uma câmera de sei lá, 7.1mp e internet 3G. Lançam outro com uma super câmera de 7.2mp e internet 4g. Ele corre pra comprar esse celular avançadíssimo afinal esses 0,1mp farão uma diferença enorme na qualidade das fotos e a internet 4g também facilitará muito sua vida, afinal ele vive conectado no WiFi de casa e do trabalho. Sem falar no super mega blaster processador octacore pra usar Whatsapp. Se você parar pra pensar a maioria dos produtos é assim: você paga um absurdo a mais por pequenos detalhes irrelevantes.

Carro: meu carro de 20 anos e 12k faz o mesmo serviço que um Rolls Royce, mas as pessoas pagam uma fortuna pra ter um guarda chuva embutido na porta.

Café: agora é modinha tomar café dos "arautos das montanhas da mogiana velha" como o tal (se existir, inventei esse nome agora) fosse muitíssimo melhor que outros. Mermão, Café Pilão é muito bom e barato, não existe justificativa lógica pra pagar mais caro por um café gourmet. Aliás, tudo que é gourmet é assim. você paga uma fortuna a mais por um detalhe quase sempre irrelevante.

Algumas pessoas tem máquina pra tudo na cozinha: de arroz, de pão, cafeteira espresso, de fazer pipoca, waffle, torrada, 4 panelas de pressão... Precisa mesmo?

Falando nisso, esses dias me deparei com esse puta texto do meu amigo Madruga: http://seumadrugainvestimentos.blogspot.com.br/2015/11/o-preco-da-sofisticacao.html. Leitura obrigatória para seres pensantes.

O Paulistano Idiota

O paulistano é sem dúvida um dos brasileiros mais idiotas e bestas (aviso aos malas de plantão: posso não ser paulistano de nascimento (sou nordestino e, aliás, concordo com quase tudo que meu amigo Rover disse aqui: http://projetofreelifestyle.blogspot.com.br/2015/11/o-brasil-e-o-pais-do-futuro.html) mas passei toda minha vida por aqui portanto me sinto no direito de falar da minha "raça"). O paulistano médio consegue complicar e encarecer absolutamente tudo. O melhor exemplo disso você pode perceber num domingo de manhã no Ibirapuera. O corredores que lá se exercitam parecem ter saído de um filme de ficção científica: usam trajes especiais: camisa que deixa o suor passar, short com proteção no saco e boné com super ventilação desenvolvido pela Nasa. Sem contar o pedômetro (nossa, como é útil saber quantos passos você deu), medidor de frequência cardíaca, a super abraçadeira de colocar Iphone e alguns acessórios que outros usam como dilatador nasal, óculos de alta performance, etc. Não vou falar do tênis especial pra correr na grama, na terra, no asfalto, no caralho... Resumindo o cara investe milhares de reais pra praticar uma atividade física que é de graça, não exige equipamento algum além de um tênis razoável que pode ser comprado por 100 reais (ou que pode custar zero reais se você correr descalço na praia).

O paulistano compra bicicleta de 10k com 474637464839 marchas pra dar rolê de domingo na ciclofaixa do Haddad. Puta que pariu, vai ser besta e complicador assim na casa do caralho. Uma "barra forte" de pedreiro faz o mesmo serviço com a vantagem de ser barata e robusta (sem chamar atenção de ladrão). Por que caralhos você precisa de uma super bike? Por que caralhos você precisa de uma camiseta de 100 reais pra correr? Meu Deus do céu, me irrita só de escrever... Depois essa galerinha fica endividada até as tampas e não sabe o porquê! Os detalhes são irrelevantes. Eu corro com o mesmo tênis que vou trabalhar (compro nos EUA o modelo mais barato de marcas boas, 2 por USD 50, cada um dura ao menos 1 ano), camisetas surradas que são as mesmas que uso pra dormir (tomo banho de noite, coloco uma camiseta limpa, a noite uso pra fazer exercício, coloco pra lavar, tomo banho...) e tenho 2 shorts pra academia/corrida que paguei 9,90 no Carrefour. Agora você vai tentar me convencer que o executivo que gasta milão pra correr vai ter resultados muito melhores que o meu? Os detalhes só fazem diferença pra quem é profissional e se apegar aos detalhes não te fazem um profissional!

Portanto antes de comprar qualquer coisa, acho válido questionar se essa coisa vale realmente o que custa e se esse valor será recuperado pelo uso. Esqueça os detalhes, eles são quase sempre irrelevantes e só servem pra encarecer alguma coisa. Eu duvido que uma bicicleta fodona faz um serviço melhor pra dar rolê na ciclofaixa que a minha de 25 anos de idade. Eu duvido que meu smartphone de 400 conto seja tão pior que um Iphone 6 (vixi, agora peguei pesado, mexi com a Apple... fale mal de Deus e do CUrintia, mas não fale da Apple. rsrs).

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Estou de Volta... E os Veganos...

Estou de volta após uma semana de descanso. Obrigado pelos comentários pedindo para que eu não parasse com as rapidinhas do blog, é isso que incentiva os blogueiros. Infelizmente alguns amigos não gostaram do fato de eu ter retirado alguns posts e a esses eu peço desculpas. Os posts ficarão fora do blog sim porque como disse, não gosto de polêmica. Eu gosto de posts com assuntos polêmicos, gosto de discussões controversas e que estimulem o raciocínio, o que é bem diferente de querer polêmica em si, com xingamentos, agressividade e coisas fora do contexto, deu pra entender?

Quero deixar bem claro para todos os frequentadores do blog que esse blog é uma página pessoal, o espaço do Corey. Portanto eu tenho total controle sobre o que acontece aqui, eu exerço meu direito de censura, isso não é nem nunca será uma democracia (a ilusão da democracia é outra falácia...) Sou totalmente a favor da propriedade privada, inclusive na internet. Se você acha que tem algum direito de dizer o que devo ou não devo fazer no meu blog, por favor se retire. Se você não aceita esse blog como ele é, você não é bem vindo aqui. Eu adoro sugestões e críticas construtivas, você tem todo o direito (e por que não dever?) de sugerir coisas, de me criticar de maneira educada (assim como várias pessoas fizeram no último post).

Embora meu amigo  não concorde, eu aprendi muito com essa confusão. Aprendi que devo tomar mais cuidado com posts que vão contra o pensamento da manada (traduzindo: eu devo ser politicamente correto, eca!) porque muitas pessoas se sentem ameaçadas quando tem suas "verdades" e seu estilo de vida contraposto e reagem de maneira agressiva. Aprendi que a história do sapo que vai esquentando junto com a água até morrer se aplica a muita coisa na vida inclusive e principalmente às convenções sociais que ainda são muito enraizadas na nossa sociedade. As pessoas continuam fazendo as coisas sem pensar o porquê as fazem e simplesmente não suportam a ideia de outras pessoas a contestarem.

Hoje entendo o que se passa na cabeça de veganos, na cabeça deles comer um animal é uma coisa quase criminosa, na minha é uma necessidade diária. Veja que diferença de pensamento mais extremo... Eu jamais, em hipótese alguma pararia de comer carne mesmo amando animais, na minha cabeça existem animais "amigos" e animais "comida". Essa diferenciação é muito nítida. Porém para os veganos esse diferenciação simplesmente não existe. Eu tenho nojo da maioria das verduras e legumes, eles tem nojo de carne. Quem está certo? Veganos ou carnívoros como o Corey? Nenhum nem outro! Simples assim! Não existe razão pra complicar... Cada um tem o pensamento moldado de uma maneira diferente, é impossível modificar isso e não há razão pra modificar isso. Porém certas coisas não podem ser negadas.

Os carnívoros não podem negar que existe crueldade animal na lida de rebanhos de corte, que pintinhos são mortos por liquidificadores só por estarem fora do padrão. Não podemos negar que comemos cadáver, um pedaço de bicho morto em putrefação cheio de hormônios e outras tranqueiras. Isso é inegável e eu como carnívoro devo abaixar a orelha perante tais fatos.

Veganos não podem negar que o corpo humano é preparado pra ingerir carne, temos dentes caninos, enzimas digestivas de proteína animal. Carne quase sempre vem acompanhada de colesterol o que é BOM pra sua saúde por diversos aspectos. Pessoas que não se alimentam de fonte proteica animal no longo prazo ficam com aparência de doentes além de diversas doenças. Esses são os fatos que os veganos não podem fechar os olhos.

O mesmo modelo de pensamento deve servir pra qualquer outro pensamento alheio.

Talvez eu seja o vegano das convenções sociais: não quero filhos e não vejo sentido em te-los, levo uma vida minimalista num apê minúsculo por pura opção e não necessidade. Tenho um casamento que não sabe o que é briga. Sou "empresário" que anda de carro com 20 anos de idade. Não quero mais ser empresário, acho melhor ser empregado CLT. Detesto futebol. Não vejo sentido em proibir uniões entre pessoas do mesmo sexo e em proibir drogas leves como maconha. Sou a favor do aborto, e eutanásia sobre qualquer circunstância. Também não entendo o porquê de um criminoso fodão ser mantido vivo...

Minhas opiniões e meu lifestyle são tão simples e óbvios pra mim que fica difícil entender como outras pessoas não as seguem, porém toda vez que eu me ver pensando assim, devo me lembrar dos veganos. O lifestyle deles é óbvio na cabeça deles mas é completamente fora da minha realidade. Você deveria fazer o mesmo!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

O Que Aprendi Hoje com o Blog

Após minhas duas últimas postagens, que retirei do ar porque o intuito do blog não é causar polêmica, aprendi algumas coisas:

1- Uma alfinetada pode se transformar numa facada no peito dependendo do ponto de vista. Eu tento levantar uma discussão saudável, alguns se ofendem e tudo vira uma guerra.

2- Não tenho conhecimento técnico da língua portuguesa suficiente pra me fazer entender por textos, ou seja, eu escrevo uma coisa e as pessoas entendem outra. Se a maioria entende diferente do que tentei falar, é óbvio que estou errado. Essa não foi a primeira vez que isso aconteceu. Preciso tomar mais cuidado com isso.

3- Assuntos proibidos nesse blog: mulheres e ter ou não ter filhos. Simplesmente não há diálogo saudável sobre esses assuntos, de 10 que comentam, 9 são em tom agressivo. Não quero isso por aqui.

4- Preciso respeitar esse meu período off line, não adianta eu querer colocar matérias curtinhas pra manter o blog ativo se não tenho tempo pra administrar comentários. Hoje mesmo perdi horas pra moderar e tentar responder comentários. Não posso me dar a esse luxo no atual momento.

5- As pessoas tentam justificar coisas que não precisam ser justificadas, isso além de chato é inútil, só serve pra perder tempo.

Vejo vocês em breve, me manterei afastado da blogosfera por algum tempo, esse negócio de posts de terceiros e curtinhas não deu certo. Abraço aos amigos e mais tolerância aos inimigos.

domingo, 8 de novembro de 2015

"Escola é uma Merda" por Izzy Nobre

O Izzy Nobre abordou de maneira direta o que sempre digo: escola no Brasil é uma tremenda perda de tempo e nisso incluo faculdades também. Veja o que escrevi aqui:

http://coreyinvestidor.blogspot.com.br/2012/04/faculdade-e-mesmo-necessario.html
http://coreyinvestidor.blogspot.com.br/2014/07/a-falacia-do-curso-superior-no-brasil.html

As pessoas sofrem lavagem cerebral desde cedo, são forçadas a acreditar que o estudo formal é importante e blá blá blá... Na minha opinião a escola é um mal necessário, necessário para o cara se enquadrar numa sociedade normal, mas puro tempo perdido. Acredito que a escola deveria preparar os alunos ensinando-os skills básicos para o dia-a-dia (como o Izzy disse que acontece lá no Canadá): cozinhar, dirigir, elétrica e mecânica básica, etc. Infelizmente passamos anos na escola, saímos de lá sem saber porra nenhuma, entramos na faculdade aprendemos um monte de bosta inútil e só vamos realmente aprender uma profissão no dia-a-dia do trabalho. Isso sem contar as Uniesquinas que nada mais são que linhas de produção de "profissionais". Eu fiz Uniesquina, eu fui enganado, meu currículo acadêmico é inferior ao de um estudante do high school americano que optasse pelo mesmo curso.

Vejam o vídeo do Izzy:


Aproveito pra perguntar aos leitores o que estão achando desse tipo de postagem que tenho feito ultimamente: postando vídeos e textos de outros blogs em posts curtinhos. Esse é o tipo de postagem que o momento atual me permite fazer, espero que sirva de alguma coisa.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Produtividade Brasileira e Direitos Trabalhistas

Assistam esse vídeo do meu amigo Marco:


Nada como uma visão de fora pra enxergar a verdade das coisas. A produtividade do brasileiro médio é um lixo, os direitos trabalhistas engessam o mercado de trabalho: o patrão mantem funcionário ruim pra economizar nas despesas de demissão, o funcionário fica no emprego ruim pra não perder tempo de casa, INSS e demais "benefícios". O patrão nunca sabe o custo real de um funcionário, sempre tem impressão que está pagando mais que deveria. O funcionário sempre acha que está ganhando menos. O que você acha disso?

terça-feira, 3 de novembro de 2015

"Por que parei de seguir as pessoas de sucesso"

Como disse nas últimas postagens, estarei ausente da blogosfera nos próximos meses devido a mudanças que estou fazendo na minha vida. Estou me dedicando a uma coisa de cada vez, colocando minhas energias em um desafio por vez, estou tentando evitar distrações, portanto não estou escrevendo para o blog.

Prometo para aqueles que não me abandonarem durante esse período sabático do blog que serão agraciados com muito conteúdo legal e inédito não só na blogosfera mas como na internet. O que estou fazendo é algo raro, ainda mais pra pessoas na minha situação, então segura a onda ai mermão que coisas boas virão.

Enquanto isso vou compartilhando coisas legais que acho na internet durante meus momentos de descanso, o texto de hoje é bem interessante, vejam:

"Por que parei de seguir as pessoas de sucesso, Mesmo querendo muito ter sucesso" por Gustavo Tanaka

domingo, 1 de novembro de 2015

Resumo - Outubro/2015

Outubro foi punk porém fluiu. Tracei um plano de ação pra mudar tudo o que não está legal na minha vida. Mergulhei de cabeça nesse plano e esse é um dos motivos pelos quais estou distante da blogosfera. Vou continuar assim nos próximos tempos (talvez meses), quando tiver algo interessante, publicarei (um vídeo, um texto de outro site, etc). Peço desculpas a quem me acompanha mas essa pausa é necessária. Não vou parar o blog porque ele me faz bem, mas por algum tempo estarei ausente.

Esse meu plano já está dando resultados, é uma verdadeira revolução que mudará absolutamente todos os fatores da minha vida, espero que pra melhor. Quando tudo isso passar prometo que escreverei muito a respeito. Grande abraço a todos!
Os comentários desse blog são moderados, ou seja, passam pelo meu controle antes de serem publicados. Esse é o motivo pelo qual seu comentário não aparecerá logo após você clicar em "Publicar", portanto não precisa postar 2 ou 3 vezes! Posso demorar, mas publicarei e responderei todos os comentários que não contenham trolagens, intrigas, propagandas e baixo nível.